Templates da Lua

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Vi-o-lão

Vi o lão, lá, vi sim o lão, tocando uma canção, com suas cordas suaves e magias como lã(o). Vi ou ouvi ouviolão

será?

Como a tristeza é triste. Como a alegria é alegre. Será que poderia existir uma tristeza alegre e uma alegria triste?

equação sentimental

O amor é "a"= não + "mor" =morte, a resposta da equação é: não morre nunca

Brilho

Sol, estrelas, lua. O que elas tem em comum? Em todas se pode ver luz. O que as difere? Uma brilha na luz e no escuro, as outras..brilham só no escuro

Triste a quem

Triste aquele que para de esperar do outro atitudes de amor, justamente por não acreditar pelos olhos externos ser alguem que seja merecedor de seu amor. 
Triste aquele que para de esperar um ato de carinho do outro, até aquele que se tem ao se cumprimentar. 
Triste aquele que para de ver luz no outro e enxerga sua própria escuridão se refletindo. Seu próprio vazio. 
Triste aquele que vê um conhecido ao invés do antes amigo. 
Triste aquele que só vê tristeza 
Triste aquele que sobrevive de lamentos. 
Triste aquele que só age pelas palavras e não pelas atitudes.
 Triste aquele que agradece as bênçãos e reclama de todo o resto. 
Triste aquele que sente pelo que diz,e não pelo coração. 
Triste aquele que não cria nenhuma expectativa,no sentido de não acreditar vir bondade daqueles que partilham a vida. 
Triste aquele que não conversa mais com quem ama, pois o outro não tem mais essa vontade. 
Triste aquele que quer estar junto daqueles que ama, mas só vê indiferença nos olhares deles.

Na verdade,triste é quem não age o verbo amar. Triste é quem não da, pois nada tem. Triste é quem não é grato de coração. Triste é quem não valoriza o amor do outro. Triste é quem não consegue ver a chama do amor dentro de si. Triste é de quem nunca se pode esperar um ato de bondade.

Criação cria uma ação

E ,por um ato de amor, Deus criou o universo. O primeiro som a existir foi de seu beijo,Sssmaack ...Bummm, fez se vida, fez se amor, fez se alegria. Cores se expandiam,se uniam. Formatos se assumiam ou mudavam a todo instante. Tudo se preenchia. Não se preocupe se quando olhar para dentro de si ver a escuridão ,pois ela é preta,e e preto também é uma cor. E, isso não te faz menos colorida, mas te ajuda a ver que ha mais que os olhos podem ver,e o que o coração possa sentir. Tudo transcende.

sábado, 2 de agosto de 2014

Cansada

Estou cansada das mesmas coisas.
Cansada de me preocupar demais com pessoas que não me preocupam comigo. 
Cansada de compartilhar o amor que tenho por aqueles que não sabem valorizar.
Cansada de ver palavras que não condizem com atitudes.
Cansada das mesmas queixas,e nunca sair delas.
Cansada de ouvir coisas negativas repetidas vezes, em que suspiro para não gritar "chega" 
Cansada de criar espectativas, ate aquelas obvias que se espera dos tipos de relações. 
Cansada de ser empurrada pelas pessoas e ter a vontade de querer continuar ao lado delas.
Cansada de coisas antigas que se repetem, vendo que não tenho mais paciência,ou mesmo garganta pra engolir sapo.
Cansada de situações em que sempre baixei a cabeca, e agora me causam pura irritação.
Cansada dos dedos indicadores me culpando de coisas dentro daqueles que apontam pra mim.
Cansada de aceitar essa culpa.
Cansada de achar que não mereço as coisas boas. Que não mereço encontrar o amor( ate aquele dentro de mim). Que não mereço ser feliz.
Cansada de assumir o que não é meu.
Cansada de me entristecer ao ver tristeza, me fechando e me afundando nela,por mais que antes eu estivesse bem.
Cansada de me contagiar com as caras emburradas e não mais as sorridentes.
Cansada de ir onde sinto não ser bem vinda ,e de me pressionar a ir mesmo assim.
Cansada de levar patada de quem se bate por dentro.
Cansada de sempre ouvir e não ser ouvida.
Cansada de querer ouvir e ter o silencio como resposta.
Cansada de ter a fala cortada varias vezes seguidas.
Cansada de achar que não importa minha presença, por não fazer diferença.
Cansada de esperar uma mudança sentada.
Cansada de olhar pra fora e não pra dentro.
Cansada de esquecer de mim nos outros.
Cansada dos egoísmos isolantes.
Cansada.
Cansada de estar cansada.
Então, me levanto . E assim deixo o resto pros três pontinhos. 

terça-feira, 3 de junho de 2014

Haikai

O inverso do verso
esta no "in"
e não no resto

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Vida

Vida, uma palavra, e como toda palavra, não consegue conter o real significado do que se menciona, o real sentimento. Vida, algo tão frágil, tão passageiro, um segundo pode separar ela de estar acontecendo, e de não estar mais.

Como os dominós que você monta, o momento que o coloca em movimento, chega uma hora que chega ao fim, às vezes mais rápido do que se espera.

Vai valorizar quando tiver morto suas esperanças? Suas oportunidades? Suas relações com sua família? Seus amigos? Seu amor? Consigo mesmo?

Momentos morrem a cada momento, um segundo passou, um segundo já morreu.

A mão não atendida, o sorriso perdido, o abraço rejeitado, o olhar ignorado, todos perdidos, todos no passado. A conversa muda, a música surda, o toque insensível, a alegria cega, desperdícios cotidianos. Podemos as vezes ouvir a música Epitáfio, sem nunca parar e refletir a mensagem que ela nos revela, a mensagem que pede para que acordemos da somente existência, para a vida.

Quantos segundos, minutos, horas, dias, meses, anos se dissipam numa eternidade de vazio, por não deixarmos nos preencher pelo presente, continuando a alimentar o vazio, ironia isso.

Algumas vezes precisamos ser sacudidos pelas situações da nossa vida para que saiamos desse estado adormecido, mas não precisamos esperar essas situações ocorrerem, seja uma doença séria, um acidente de alguém querido ou seu próprio.

A escolha esta ai, na sua frente, o que você quer? O que sente que precisa?


As pessoas dizem que falta amor, até perguntam onde que ele foi, mas não falta amor, falta amar, amar a si, amar o outro. A resposta das amarguras, de como se completar, de como se complementar está ai, dentro de você, de mim.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Trabalho que fiz para a faculdade, e no fim um poema desta atividade

Linhas que percorrem um caminho, olhando- as parecem não haver fim, dificilmente consegue ver onde elas começam também. “Aparecem, desaparecem” (O desenho da criança, p 56), cuja função esta além do que se pode ver em um papel. É um modo de se expressar sem palavras, dizer sem falar verbalmente, um prazer autogerado, recheado da magia que existe na imaginação, além de possuir significações e conteúdos simbólicos. Processo essencial na infância, que, pela repetição busca “automatizar, incorporar, dominar um gesto adquirido, um movimento inventado, um rabisco criado” (O desenho da criança, p.59), um meio de interação da criança com o meio ambiente. O desenho permite uma experiência de novas realidades. A garatuja, como um contato inicial com esse mundo do desenho, atende às necessidades do sistema nervoso afinado, além de um desejo de se afirmar e de significação de si no mundo.
Linhas do trem, tão simples, tão importantes, contem a mensagem de encontros e desencontros. Originam-se de diversas partes, de lugares distantes que em algum ponto se unem, se comunicam. Tristes os caminhos que se separam e nunca mais se encontram. Saudade naqueles que vão e demoram a retornar. Alegrias nas horas em que se unem. Tudo isso contido na forma de duas linhas paralelas entre si, que sustentam sentimentos, conteúdos.

Idas
Vindas
Vem
Vão
Ligam-se
Produz magia, encantamento no olhar
Mas logo se despedem
Deixando saudades de um abraço
E desejos para que as linhas
Para que os caminhos da vida
Enfim se tornarem laços

Sempre tendo meios de se encontrarem

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Espinhos

O que se admira em uma flor? São suas pétalas? Perfume? Cor? Tamanho? Ou mesmo aquelas características que nem pensaríamos admirar,os espinhos. Aqueles pontos contorcidos,pretos,disformes. É,os espinhos. O que é mais belo? Uma flor que não possui espinhos ou aquele que tem muitos? Seria isso um defeito? Uns poderiam dizer que sim,afinal,os espinhos machucam. Não nos deixam pegar a flor. Mas justo eles,nos fazem ver que a flor merece um toque delicado,não serve para pegar de qualquer jeito,nem a força,mas com calma,paciência. Mostra que até na beleza mais brilhante que possa ter,há aquilo nela que vai protegê-la,que não possui somente essa beleza,mas que possui valor,consideração. Que ás vezes o que parece ser um defeito pode virar a ser mais um motivo de admiração, de crescimento. Digo isso pra não dizer q não falei das flores.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Poema que li e amei hehe

Nosso encontro acontece porque
cada um expressa
os processos internos,
as dores mais profundas,
e cada um compartilha a sensação de plenitude
dos momentos eternos que cada um vivencia.
assim,
a tristeza de um,
é curada com o amor de ambos;
o sorriso de um lado
desperta o sol interior do outro.
a minha facilidade de chorar,
te abre novas janelas para curar
através das lágrimas;
e os seus processos meditativos
movimentam com leveza
o meu caminhar inquieto.
nosso encontro acontece porque
nosso amor nos torna receptivos,
mas para além da receptividade
e também da compaixão,
nos permitimos nos fundir,
nos abrir sem véus,
nem máscaras...
nosso encontro acontece porque
encontramos o silêncio de cada um.
(Tamira Flor)